A oposição da República Democrática do Congo condena o adiamento das eleições

O anúncio do atraso das eleições é "uma declaração de guerra", diz o presidente do partido da oposição.

A oposição da República Democrática do Congo condena o adiamento das eleições

O partido da oposição na República Democrática do Congo condenou nesta quinta-feira a comissão eleitoral do país por adiar as eleições até meados de 2019.

"O comentário do presidente da comissão eleitoral, Corneille Nangaa, sobre a necessidade de 504 dias antes da organização das eleições é uma declaração de guerra contra os congoleses", disse Laurent Batumona Kandi, presidente do Partido da oposição, Solidariedade pela Mudança na RDC, em comunicado.

Batumona Kandi disse que a oposição percebeu que Nangaa é aliado do presidente Joseph Kabila. Ele prometeu que vai lutar contra isso e garantir que as eleições serão realizadas este ano.

Ele disse que as eleições deveriam ser realizadas no ano passado, mas foram primeiro empurradas para o final deste ano e, surpreendentemente, estão sendo adiadas até meados de 2019.

Ao reunir as organizações da sociedade civil ontem, Nangaa disse que a Comissão Eleitoral Nacional Independente (CENI) precisaria de 504 dias após o fim do registro de eleitores para organizar as eleições.

O mandato de Kabila expirou em dezembro passado, mas ele se recusou a sair, dizendo que as eleições não poderiam ter lugar porque a maioria dos eleitores não havia sido registrada.



Notícias relacionadas