Espanha planeja quebrar o recorde de 30,4 milhões de turistas estrangeiros

Se as previsões forem cumpridas, a Espanha superará pela primeira vez a barreira de 30 milhões de turistas estrangeiros recebidos no trimestre de verão.

Espanha planeja quebrar o recorde de 30,4 milhões de turistas estrangeiros

Madrid, (EFE) - O governo espera que a chegada de turistas estrangeiros para a Espanha no terceiro trimestre ultrapasse 30,4 milhões, 2,1% a mais que no verão de 2017, o que significa um "nova recorde", comentou a ministra da Indústria, Comércio e Turismo, Reyes Maroto.

Se estas previsões forem cumpridas, a Espanha superará pela primeira vez a barreira de 30 milhões de turistas estrangeiros recebidos no trimestre do verão.

A ministra apresentou em uma conferência de imprensa previsões para o verão, feito com dados de Turespaña, Frontur e Egatur, de resultados oficiais dos primeiros cinco meses do ano e reflete um aumento de 2% dos visitantes a 28, 6 milhões de chegadas.

Em 2017, a Espanha já bateu seu recorde de turistas estrangeiros, com 81,8 milhões, 8,6% a mais que em 2016, e foi o segundo país com mais visitas no mundo, perdendo apenas para a França.

Com prudência, a ministra preferiu não fazer previsões sobre o final de 2018, apesar dos aumentos registrados até agora e dos esperados para o terceiro trimestre.

Em vez disso, ela salientou que as despesas dos turistas na Espanha está prevista para este verão para crescer ainda mais e disparar até 34.000 milhões de euros no terceiro trimestre, em comparação com 32,675 milhões no mesmo período de 2017, com aumento de 4,1%.

De janeiro a maio, o aumento dos gastos também foi de 4,1% ano-a-ano, atingindo 29.550 milhões de euros, com uma despesa média por turista de 1.009 euros.

Maroto ressaltou que a Espanha faz parte de uma "posição de liderança" no turismo internacional e que, para manter e consolidar os fluxos, seu departamento terá uma "estratégia" que será baseada na sustentabilidade.

Uma sustentabilidade com três aspectos: econômico (apostando no turismo de qualidade, com maior diversificação de produtos e destinos); ambiental (respeito ao meio ambiente) e territorial (que contribui para o reequilíbrio da riqueza).

Maroto indicou que pretende "colocar o turismo no projeto país, que foi um pouco ausente do governo anterior", e que este já tomou várias medidas, incluindo a criação da Rede de Destinos Turísticos Inteligentes , que será inaugurada em setembro.

Inicialmente, essa rede integrará vinte e dois municípios que já a aprovaram e outros trinta que já começaram o processamento.

Estes destinos turísticos inteligentes têm que se adaptar à digitalização, sustentabilidade e acessibilidade, e seguir uma metodologia de trabalho definida pelo Ministério.

Além disso, a ministra lembrou que tem sido chamada a Conferência Setorial sobre Turismo para o próximo dia 18, a fim de ouvir as comunidades autônomas em duas áreas importantes: mudanças regulatórias no alojamento turístico e melhoria das condições de trabalho dos trabalhadores do setor.

No ano passado, a Espanha hospedados congressos faturado 6.130 milhões de euros, 3,38% a mais que em 2016, tornando-se o quarto país no mundo neste subsector turístico, de acordo com o balanço da actividade apresentado hoje em Las Palmas Gran Canaria pelo Spain Convention Bureau (SCB), uma entidade dependente da Federação Espanhola de Municípios e Províncias (FEMP).

Em termos de transporte de passageiros neste verão, os sindicatos que representam a tripulação de cabine da companhia aérea Ryanair anunciaram hoje uma chamada para greves para os próximos dias 25 e 26 na Espanha, Portugal, Itália e Bélgica.

Maroto, disse que o governo está trabalhando em coordenação de vários ministérios "para ver até que ponto pode atenuar ou reverter" a possibilidade da greve e, se for o caso, verificar se outras companhias aéreas têm capacidade suficiente para acomodar a capacidade afetada. EFE



Notícias relacionadas