Contra-ataque russo em torno das colinas de Golã

A Rússia cercou as bases de Israel nas colinas de Golã com mísseis e foguetes

Contra-ataque russo em torno das colinas de Golã

A Rússia cercou com mísseis e foguetes do mar as bases de Israel nas colinas de Golã, de onde ataca alvos iranianos na Síria.

A Rússia, que permaneceu em silêncio diante dos ataques de 9 de maio às colinas iranianas de Golã, que mataram 23 soldados iranianos e sírios, decidiu agora realizar um grande contra-ataque.

A Rússia começou a colocar os mísseis Kalibr ao largo da costa Síria e de Israel. Por outro lado, sistemas de foguetes russos Golan-1000 também foram instalados na capital síria de Damasco, capazes de lançar foguetes explosivos de 500 gramas cada e de alto calibre.

Esses foguetes, que ao mesmo tempo servem como defesa aérea, têm o poder de destruir toda a linha de defesa nas Colinas de Golã, que é o posto de defesa mais crítico de Israel no norte do país.

De acordo com a nova estratégia da Rússia, a oportunidade de Israel de realizar um ataque aéreo no sul da Síria foi seriamente limitada.

O exército russo supõe que nos próximos dias Israel possa novamente atacar as bases onde o Irã domina.



Notícias relacionadas