A linha de rumo na nova era do Partido AK

No 3º Congresso Extraordinário do Partido AK, celebrado a 21 de maio, o presidente Erdogan e fundador do partido, foi reeleito como secretário geral do Partido AK.

A linha de rumo na nova era do Partido AK

A vida política da Turquia entrou numa nova era depois deste congresso. Expressando que a sua visão de direção na nova era será baseada nos princípios básicos de “democracia, mudança e reforma”, o Partido AK estabeleceu as fundações para a futura linha de rumo, deixando para trás o 15º ano no poder.

Nos últimos 15 anos foram realizadas muitas reformas na Turquia, em muitas áreas desde a economia e a saúde, até à educação e as infraestruturas. A economia turca alcançou feitos notáveis nas áreas em que estas reformas foram implementadas.

Por outro lado, durante o período de governo do Partido AK, ou seja, nos últimos 15 anos, a Turquia deu sérios passos no sentido de se tornar num ator importante da economia mundial, tendo triplicado o rendimento nacional em 15 anos. Não será errado chamar aos progressos no país e na sua economia, um caso de sucesso.

Expetativas do Partido AK

Espera-se que várias políticas e linhas de rumo sejam apresentadas pelo Partido AK durante este período de transição, que começou a partir do momento em que o presidente Erdogan se tornou membro do Partido AK e que se irá prolongar até às eleições de 2 019. Estas políticas são particularmente importantes para a proteção da estabilidade macroeconómica, que foi um dos alvos da tentativa de golpe de estado de 15 de julho, devido às altas taxas de crescimento que se registam no país.

Neste novo período, que será marcado pela estabilidade política, a Turquia terá a oportunidade de ultrapassar as crises económicas vividas durante os períodos de governo de coligação, e de se focar na estabilidade económica. Neste contexto, a nova era irá trazer oportunidades importantes para a Turquia, no sentido de promover o seu crescimento económico e taxas de desenvolvimento mais altas neste novo período.

No período que se avizinha, será necessário manter o foco nas reformas estruturais e aumentar o nível de emprego em cada setor, para que a Turquia se torne num país de elevados rendimentos, e não se limite a ser um país de rendimentos médios. Por exemplo, é claro que as reformas no setor do emprego terão um impacto direto nos números do desemprego. Neste contexto, e em primeiro lugar, é preciso aumentar o emprego para a juventude e para as mulheres, pois ambos têm um peso crítico na taxa de desemprego e são por isso uma das prioridades mais importantes.

Da mesma forma, espera-se que a transformação estrutural que irá ocorrer no setor industrial, se foque na produção de bens de alto valor acrescentado e continue a seguir a tendência positiva verificada nas exportações. A este respeito, podemos observar que a Turquia – que se irá tornar mais ativa no comércio externo – talvez possa melhorar o seu desempenho em termos do défice comercial.

Num sistema global em que a tecnologia se desenvolve a grande velocidade em quase todos os setores, a Turquia tem que fazer parte desta aventura o mais rapidamente possível. As estratégias baseadas na estabilidade económica, e que se prevê que irão crescer com base em fundamentos mais competitivos, serão muito eficazes para que a Turquia se torne num ator mais forte nos mercados internacionais.

Apesar das dificuldades tais como os problemas de segurança na região e a tentativa de golpe de estado, o crescimento económico atingiu os 2,9% no final de 2 016. A Turquia, enquanto país em desenvolvimento, é suposto oferecer oportunidades importantes com o sistema presidencial, por forma a dar passos mais seguros e sustentáveis nesta conjuntura, e para suprimir futuras preocupações com a economia.

Nesta nova era em que o presidente Erdogan chegou ao poder enquanto fundador do partido, o objetivo é a eliminação dos obstáculos que causam hesitações ou receções na política e na economia. Uma Turquia politicamente forte, é a chave para a estabilidade económica. Estamos por isso no dealbar de uma nova era de crescimento sustentável e inclusivo, com objetivos económicos alcançáveis e em que vai crescer o investimento estrangeiro, algo que já se verifica atualmente.

O novo sistema está a abrir portas para uma nova Turquia, que nos irá acolher com reformas e mudança. Se as políticas e estratégias traçadas nesta direção forem cumpridas, serão criadas as fundações de uma Turquia caracterizada pela estabilidade política e económica, num contexto de prosperidade social crescente e gradual.



Notícias relacionadas