Lendas da Anatólia

Nessa semana vamos falar sobre a famosa história do Nó Górdio.

Lendas da Anatólia

Cerca de 1000 a.C., havia na região de Tráquia na Anatólia uma grande civilização estabelecida pelos frígios. Daqueles tempos lendários à Idade Média, as profecias dos oráculos desempenhavam um papel importante na política e administração do império. A capital dos frígios ficava na região de Polatli, próximo de Ancara e era chamada de Górdio.

De acordo com uma profecia, o rei dos frígios seria o primeiro a entrar na cidade de carro após a morte do atual rei. Por coincidência, quando o rei morreu, a primeira pessoa a entrar na cidade de manhã foi Górdio que vinha da aldeia para vender seus produtos. O povo o esperava com ansiedade e recebeu com alegria e aplausos o novo rei. Apesar de ser um homem do campo, Górdio se tornou um grande imperador com o passar do tempo. Ele expandiu as fronteiras do território por seus quatro cantos. E também começou a vender para todo o mundo os materiais de bronze, mobília e têxteis produzidas pelos frígios. Por causa do avanço tecnológico de seus produtos, o comércio trouxe grande acúmulo de riquezas ao império.  

O rei Górdio então toma o carro de de boi que o fez se tornar rei e o coloca em frente ao templo, atando-o com um enorme e complicado nó. Segundo a profecia, a pessoa que conseguisse desfazer esse nó poderia governar o mundo inteiro. Com a morte de Górdio, seu filho Midas assume o império e durante toda sua vida governa o país. Há também muitas histórias sobre o rei Midas, conhecido como aquele que transformava em ouro tudo que tocasse. No período final de sua vida os persas invadem o território e passam a controlá-lo. Mesmo com o passar de mais de cem anos, ninguém havia podido desfazer o nó de Górdio. Assim a lenda se espalha. Nesse período o Imperador Persa tenta ocupar a Grécia mas não sucede. Após várias tentativas eles são obrigados a se contentar com o território ocupado da Anatólia.

Nos anos 300 a.C. Alexandre, o Grande sobe ao poder na Macedônia e traz a Grécia sob seu domínio. Com o uso de cavalos, novas técnicas militares e o desenvolvimento de estratégias, Alexandre consegue ocupar também a Anatólia. Ele derrota o exército persa em Çanakkale e Antália. Em Panfília, nas proximidades de Antália, ele ouve falar do Nó Górdio. Então ele muda de direção e segue para o norte disposto a desfazer o nó. Ele chega até a carroça em frente ao palácio. Todo o povo e os profetas estão ansiosos para saber se ele conseguirá desfazer o nó ou não. Ele tenta desfazer a linha do nó mas simplesmente não consegue. Por fim, já irritado, ele saca sua espada e rompe a corda. Os profetas e o povo ficam surpresos. De repente, alegria toma conta da multidão e o povo começa a cantar em euforia por causa da solução do nó.

Alexandre o Grande, com o apoio psicológico de ter sido aquele que desfez o nó de Górdio, ataca as terras persas. Em um curto período de tempo ele derrota todas as forças persas que se levantam contra ele. Tanto no Irã, quanto na Síria, algumas regiões do Iraque e até no Egito, ele se torna imperador. Não bastasse esse território, seu domínio também se estendeu até o Afeganistão, Paquistão e Índia. A lenda acabou se cumprindo pois Alexandre o Grande se tornou o maior imperador do mundo. Morrendo em idade jovem, ele governou o mundo daquela época.

Atualmente, a expressão Nó Górdio é usada para problemas muito difíceis ou impossíveis de resolver e assim, essa história continua sendo contada até os nossos dias.

Na próxima semana nos encontramos novamente com mais um programa Lendas da Anatólia.

Esse programa foi escrito por Mücahit TÜRKÖNE



Notícias relacionadas