A visita do presidente Erdogan à Índia

A análise de Cemil Dogaç Ipek, investigador em Relações Internacionais na Universidade Ataturk.

A visita do presidente Erdogan à Índia

O presidente Recep Tayyip Erdogan levou a cabo uma intensa diplomacia durante o mês de maio. A Índia, foi uma das suas mais importantes paragens. Vamos já a seguir analisar a visita do presidente Erdogan à Índia, bem como as relações entre os dois países.

O desenvolvimento das relações entre a Turquia e a Índia faz parte dos capítulos mais importantes da política externa turca. A visita à Índia do presidente Erdogan é importante do ponto de vista da política externa. Um outro detalhe importante, é o facto de Erdogan se ter deslocado à Índia acompanhado de deputados do partido da Ação Nacionalista. Podemos interpretar esta situação como um sinal para a política interna e externa, que irá ser seguida pelo presidente Erdogan neste novo período.

A Índia conta com mais de mil milhões de habitantes e domina em todas as áreas no Oceano Índico. O país está situado entre o mundo árabe e o mundo malaio. Na sua rica estrutura étnica, existem conceitos turcos para além de outras comunidades muçulmanas. Na Índia falam-se 22 línguas diferentes, num país composto por 7 regiões e 28 federações.

As relações entre a Turquia e este país multicultural e multilinguístico, já datam de há muito tempo. O império mongol foi criado na Índia e é representado por uma estrela no símbolo da presidência turca. Atualmente, há mais de 30 milhões de pessoas de origem turca a viver na Índia.

A Índia é um mercado importante, com uma estrutura macro económica estável e 200 a 300 milhões de consumidores com poder de compra real. O volume comercial entre a Turquia e a Índia está a subir. No entanto, a Turquia regista um défice comercial com o seu parceiro indiano. A Índia fez investimentos importantes na Turquia, com mais de 200 empresas indianas a estarem diretamente presentes na Turquia. Pelo contrário, a Turquia tem uma pequena presença na Índia.

Se a Índia mantiver o seu crescimento económico atual, o país tornar-se-á na segunda maior potência económica do mundo em 2 030. A Turquia poderá ser um importante parceiro económico para a Índia, que deseja abrir-se em direção à Europa e ao Médio Oriente. O volume comercial entre os dois países é de aproximadamente 6,5 mil milhões de dólares, um montante insuficiente. A Turquia pretende que este valor suba até aos 10 mil milhões de dólares no mais curto espaço de tempo. E sabemos que esta vontade é também partilhada pela Índia.

As taxas alfandegárias na Índia são altas. Apesar de todas as iniciativas tomadas no capítulo da liberalização dos mercados, a Índia tenta proteger a sua indústria local com taxas aduaneiras. O governo indiano prometeu baixar em 20% as suas taxas sobre os produtos finais, e em 10% as taxas aplicadas sobre as matérias primas, no contexto da sua ligação à Organização Mundial do Comércio. Apesar desta promessa, são também cobradas taxas anexas a muitos produtos. Em consequência desta situação, as taxas aduaneiras totais são muito elevadas. Quando consideramos a aplicação das taxas anexas, os direitos alfandegários chegam nalguns casos a duplicar.

Os sistemas bancários dos dois países, não têm atualmente nenhuma cooperação. As cartas de crédito dos bancos turcos não são aceites. Existem também problemas de equivalência bancária e as operações bancárias realizadas através de bancos intermediários são muito caras. As acreditações com origem em bancos indianos contêm muitas informações e a duração das operações é muito longa. É preciso resolver estes problemas, para desenvolver as relações económicas.

A islamofobia que cresce na política, pode causar ferimentos profundos no seio das comunidades da Índia. É preciso prestar atenção a esta questão. Com a visita do presidente Erdogan, as relações entre a Turquia e a Índia irão ter um rápido desenvolvimento. Adicionalmente, esta visita pode ainda dar origem a outros desenvolvimentos positivos, e estar na base de novas bases de diálogo entre a Índia e o Paquistão. Esta visita pode também contribuir para as relações entre a Índia e a China. A passagem de Erdogan pela Índia pode ainda ajudar a controlar a questão de Cachemira, e numa segunda etapa até a resolver definitivamente este assunto. A visita do presidente turco à Índia é também vista como algo que poderá ajudar a equilibrar as relações dos Estados Unidos e da Rússia com o gigante do continente indiano.

A Turquia é um país com o potencial de concretizar todas estas possibilidades. A forte população muçulmana da Índia, bem como os traços turcos deixados na Índia no passado, reforçam o potencial da Turquia. Em contrapartida, a Turquia deve prestar atenção e proteger o equilíbrio entre o Afeganistão e o Paquistão, ao nível dos seus acordos e parcerias com a Índia. Se a Turquia não proteger estes equilíbrios, estes dois países (o Paquistão e o Afeganistão) - que são amigos de longa data da Turquia – as suas relações com estes países poderão sair beliscadas.

As visitas mútuas de alto nível entre a Turquia e a Índia, serão benéficas para os dois países. Estas visitas não devem unicamente ser feitas ao mais alto nível, mas sim a todos os níveis. É necessário que haja mais intercâmbio de académicos e relações ao nível das instituições de pensamento estratégico. Neste contexto, seria útil organizar conferências conjuntas e eventos que promovam os dois países, de forma mais regular.

Em resumo, a Índia é um país estratégico do ponto de vista da sua posição e da sua população, bem como ao nível dos seus recursos e economia. A Turquia irá por isso continuar a desenvolver as suas relações com a Índia em todos os domínios.



Notícias relacionadas