• Galeria de Vídeos

ONU promulga um relatório sobre as violações dos direitos humanos cometidos pelo PYD/YPG

O grupo terrorista aloca força e coloca restrições ao deslocamento, especialmente dos homens em Afrin.

ONU promulga um relatório sobre as violações dos direitos humanos cometidos pelo PYD/YPG

O relatório "Avanços no Noroeste da Síria" de 7 de fevereiro preparado pelo Escritório das Nações Unidas para a Coordenação da Ajuda Humanitária (OCHA) notou as violações dos direitos humanos cometidas pelo grupo terrorista PYD / PKK.

O grupo terrorista aloca força e coloca restrições ao deslocamento, especialmente dos homens em Afrin.

O PYD impede a saída de civis de Afrin. Em troca, é relatado que algumas pessoas "não vizinhas de Afrin" se mudaram para a área controlada pelo regime em 6 de fevereiro.

90% dessas pessoas eram mulheres e crianças e isso não permite que homens saem da área.

Dez por cento dos residentes de Afrin e Idlib - de acordo com as Nações Unidas - não possuem cartões de identidade. Os documentos por ordem das pessoas são apreendidos pela organização.

As famílias não podem ser unificadas devido ao fechamento de áreas de trânsito. Algumas crianças são forçadas se separar dos membros da família.

É relatado que muitos civis foram feridos em ataques de foguetes em Azaz controlada por opositores nos primeiros dias de fevereiro. Uma criança perdeu a vida quando um carro com civis foi atingido por um foguete, outras seis pessoas ficaram feridas. Os civis feridos foram transferidos para hospitais turcos.

As violações dos direitos humanos perpetradas pelo grupo terrorista PYD / PKK foram refletidas nos relatórios da HRW, Amnistia Internacional e da Rede Síria para os Direitos Humanos (SNHR).



Notícias relacionadas